quarta-feira, 15 de junho de 2011

Desenhado a lápis.


A noite escura, negra.
E a folha solta, branca.
Marcado grafite, cinza.
Este poema... incolor.

2 comentários:

Taciana dos Anjos disse...

às vezes pintar aniquilaria toda a produção. bonito desenho a grafite.
=)
taaci

Will disse...

Perdoe-me a intromissão, mas o meio digital é realmente um meio sem privacidades, não? Li alguns textos desta primeira página e não lhes falta algo de genial, ainda mais este poema.