quinta-feira, 29 de julho de 2010

En scena d'si enemas...


Amar é sair do cinema pensando em já voltar
Pela vontade de chamar a tua guria para ver aquela cena
Aquele diálogo
Aquele momento que te marcou
Durante a projeção.

É quando dividir a infecção do fotograma
Não se trata de uma opção
Mas sim uma necessidade tão grande
Quanto a necessidade de logo após a sessão
A levar para casa, e entre garrafas de vinho
Acariciar a sua alma e a sua vulva com ardor.

Amar não é aquilo que as figurinhas dizem
Nem sexo
Nem posse
Nem pose,
Mas sim um vírus que se manifesta entre os corpos apaixonados

E assim segue o compasso do nosso duo de jazz...

(dedicado a la blue sunflower.)

6 comentários:

Leonardo disse...

Ou então, repetir as frases mais românticas e marcantes do filme, pra guria, como se estas fossem de sua autoria.

Ceres disse...

"O amor é filme. Eu sei pelo cheiro de menta e pipoca que dá como a gente ama.".

O amor é tanta coisa que nem se pode dizer o que ele é, mas tentemos...

Mariana Souza disse...

Amar é tão simples, mas ao mesmo tempo é difícil de se descrever.
Acho que cada pessoa que ama tem uma maneira própria de descrever o amor.

Gosto muito dos textos publicados no blog.

Izabel Garcia disse...

Amar é olhar para o ser humano que está do seu lado e se sentir previlegiado.

Rody Cáceres disse...

Fala meu..curti o poem e o blog...abraços

Matheus N. disse...

aquilo que não se sabe e, mesmo não importando os porquês, é.