sábado, 21 de novembro de 2009

TEXTO PARA SER LIDO EM VOZ ALTA, VELOCIDADE RÁPIDA, SEM PARAR, SEM RESPIRAR, SEM PENSAR, SÓ A SENTIR MINHA LÍNGUA ESTALANDO ESTAS PALAVRAS DIRETAMENTE NO ESTRIBO DO TEU OUVIDO.


Vamos ser artistas em Nova York
Tocar guitarra faltando cordas em Seattle
Brincar de Guilherme Tell no Mississippi
E Bonnie & Clyde seremos então de fato.

Vamos para Paris, Suíça, Zaire
Se me permites te levo hoje para a Bielorrússia
E amanhã estamos de volta para o café da manhã
Aqui em casa, já pensou, amoras e geléias especiais.

Aonde está a rima em viajar para a Grã-Bretanha?
No Tibet já estivemos, em sonho claro, mas...
Santa Lúcia, Porto Rico, México, Chile
Lugares iguais para estarmos igualmente à lugares.

E cântaros, e teus lábios, e teu dorso, e meus dedos
E nossos mapas, vamos ser artistas em Berlin
Linda garota, não de Berlin, mas daqui e ali
E qualquer lugar, vamos ser poetas hoje à noite?

E vamos cair na estrada, e vamos cair na cama
Sonhar, depois de acordar, de mais que mais?
Sei lá, vamos viajar para outro lugar, só diga
Vamos - que eu te levo para lá, só diga Vamos.

Então vamos, então venha e traga teus lábios
Traga teu sorriso. Traga teu abraço. Traga teu desejo
E também traga os teus medos para que eu possa te salvar
Mas não traga o que me estraga, que é teu desprezo.

Mudei minha cabeça de lugar, estou ali, enquanto me olhas
Aqui, e mesmo que por vezes pareça meu reflexo, sem nexo
Digo, vamos ser artistas em Nova York, mas ser artistas
Aonde estamos, aqui e agora, vamos?

[quadro pintado por ti: assinado por 'eu': doado pela unicidade.]

excertos que ficaram de fora do texto = tempo. passado. erros. gerados.
cenas do próximo capítulo = __________ (coloque a mão em cima da minha, como se fosse um jogo de corpo, e deixa o destino fingir que não somos nós que estamos escrevendo. e não deixa. coloque a mão em cima da minha e escreva no espaço em branco. faça alguma coisa. não faça nada só faça nem que faça comigo, agora, mas faça, nem que desfaça, se o que for feito não tiver efeito. e faça. pois que não faz nada, espera. e quem espera, disfarça. claro que não disfarça, esta farsa, e para isso faça, que assim algo existirá, e para acabar... façamos.)

uma produção: - me diga. - te digo. - então diga. - digo. - dizes? - já disse. - certeza? - claro. - me beija? - talvez. - talvez? - beijo. - então beija? - claro. - então vem. - vou. - vai. - vem. - vou. - vou também. - comigo? - queres? - claro. - então vamos. - vamos.

Vamos ser artistas!

6 comentários:

Modorra Burlesca disse...

Jean Marc-Parisis versão alegre.

m*.ella disse...

vamos..

pq queremos o mundo e queremos agora...

o/


love it.

fábio bocanegra. disse...

todos somos artistas, sir!

Grozelix disse...

caraca, véio, amei seu blog|!!!! sigo-te... e esse texto, que massa, que massa. Super emocionada quando encontro coisas assim! Parabéns.

Luiz Andrioli disse...

E tem outra maneira de ser que não a condição de artista? Dá para sobreviver com saúde de outra forma???

Maiana Busnelo disse...

Reinventar a vida, fazer dela algo maior do que fazemos habitualmente.
Sentir mais do que pensar, saborear cada gota em sua essência.

É preciso coragem para levarmos a vida que gostaríamos.