segunda-feira, 8 de junho de 2009

Suite "Noctívago": Andante


Adoro caminhar pela cidade durante o anoitecer,
Ver os prédios se transmutarem em sombras,
Notar que as verdadeiras sombras se escondem aos poucos,
Ver que aos poucos nós mesmos viramos sombras

Reparo em espaços que antes não existiam
Para mim, me acalmo, respiro e olho para o lado onde não há ninguém.
Olho para a frente e vejo um azul claro, para cima
Um azul vivo, para as nuvens um azul escuro, para dentro vejo minha alma

Caminho mais um pouco e me torno a noite, pulso com o vento,
Busco palavras para descrever este momento
Idéias povoam a noite, vidas ganham sentido e por isso espero morrer no amanhecer
Assim meu corpo será testemunha viva da última noite desta minha vida.

2 comentários:

Vinícius disse...

Poema fodão!
Repetição excitante!
SOMBRAS!SOMBRAS!SOMBRAS!SOMBRAS!SOMBRAS!SOMBRAS!SOMBRAS!SOMBRAS!SOMBRAS!SOMBRAS!SOMBRAS!SOMBRAS!SOMBRAS!SOMBRAS!SOMBRAS!SOMBRAS!SOMBRAS!SOMBRAS!SOMBRAS!SOMBRAS!SOMBRAS!SOMBRAS!SOMBRAS!SOMBRAS!SOMBRAS!SOMBRAS!SOMBRAS!SOMBRAS!SOMBRAS!SOMBRAS!SOMBRAS!SOMBRAS!SOMBRAS!SOMBRAS!SOMBRAS!SOMBRAS!SOMBRAS!SOMBRAS!SOMBRAS!SOMBRAS!SOMBRAS!SOMBRAS!SOMBRAS!SOMBRAS!SOMBRAS!SOMBRAS!SOMBRAS!SOMBRAS!SOMBRAS!

T disse...

Repetição excitante [2]. I love your loop and your dance insane.