terça-feira, 16 de junho de 2009

Definitely, Maybe, Henry.


"Eu tenho necessidade de uma mulher, somente agora eu sei que posso fazer uma mulher feliz. Eu quero dar a uma mulher tudo o que tenho e eu quero que ela me tenha por inteiro. Recuso uma aliança puramente sexual." [SEXUS]

"Minha obra é como eu sou : o homem confuso, temerário, exuberante, obsceno, turbulento, escrupuloso, inquieto, mentiroso. O homem diabolicamente sincero que eu sou." [NEXUS]

"Não sou um santo, nem um deus, nem mesmo o apóstolo de uma nova ordem. Eu sou simplesmente um homem. Um escritor que escolheu a própria vida como sujeito, uma vida rica, alegre, apesar dos obstáculos, intempéries e convençôes. Espero que aquilo que eu digo, seja compreendido claramente, pois falando da minha vida eu falo da vida em geral. Eu amo a vida. Não considero que sejam os deuses, nem as circunstâncias que a tornam difíceis; somos nós mesmos que a tornamos insuportáveis." [PLEXUS]

6 comentários:

Mila disse...

SEXUS = conto de fadas
NEXUS = sincero
PLEXUS = realista

Acho que a maioria dos homens está mais p/ NEXUS.
heuheuehuehue
Add seu blog blz?
Bjs

|Fly| disse...

Na verdade eu colocaria "Sexus" como realista, "Nexus" como surrealista, e "Plexus" como cansativo. Mas isso levando em conta os livros por completo, não só trechos. Sem contar que "Trópico de Câncer" destruiria qualquer interpretação sobre estas frases, o Henry se afundou, é um dos caras com maiores problemas de relacionamentos que já li, sejam amorosos, sejam de amizades. Só foi se encontrar pelo final da vida, com uma mulher que amou, não só apaixonou, mas sozinho e reclamão para revistas. Apesar de que recomendo até estas entrevistas finais dele, grande escritor.

Mila disse...

Desculpa, acabei deturpando a obra ao relacionar com a nossa realidade, neh?
Fail...Sorry
heuehuehuehuehuehue

m*.ella disse...

really good!
and hot.

Felipe Figma disse...

Aquilo que você Quer.

Suas caraterísticas.

Comparações.


E ainda não disse quem você é. Já notou como isso é realmente difícil? Acho que não inventaram ainda palavras pra isso. E provavelmente elas não existam ainda. Talvez seja uma pergunta melhor respondida por uma explosão emocional de um funcionário sob pressão no serviço porque está fazendo 3 horas extras em uma quarta-feira chuvosa. Ou nas lágrimas pela perda de um ente querido ou nem tão querido assim.

Eu prefiro acreditar que é o eco do mundo que nos diz quem somos. O jeito que as coisas reagem conosco. Quão pior for a reação do mundo em relação a mim, mais estou acertando. Começando pela sua reação a este comentário =]

Quem é ela? disse...

Não tenho nenhum comentário inteligente,e provavelmente voce deve ter pensado nesse exato minuto: então não comente! Mas gostei daqui,e gostaria de dedicar mais tempo pra ler.Mas reservo o pouquinho de tempo que tenho,pra assistir filme,inclusive os milhares da sua lista.
Enfim.
.DDD