segunda-feira, 16 de março de 2009

Vão enganar outro!

Ismael Alberto Schonhorst para si mesmo:

- Músicos tristes falando de amor. Cineastas tristes falando de amor. Escritores tristes falando de amor. E tudo tão falso. Tudo tão sem motivo. Qual a razão disso? Não se fazem mais artistas como antigamente?

George Wickes para Henry Miller:

- Em Os livros da minha vida você diz que a maioria dos escritores e pintores trabalha numa situação desconfortável. Não são esses desconfortos às vezes psicológicos? Pegue o caso de Dostoievski...

Henry Miller para a sabedoria e avante:

- Eu não sei. Sei que Dostoievski estava sempre em um estado miserável, mas você não pode dizer que ele escolheu desconfortos psicológicos deliberadamente. Não, duvido muito. Não acho que alguém escolhe essas coisas, a menos que seja inconscientemente. Acredito que muitos escritores têm o que muitos chamariam de uma natureza demoníaca. Eles estão sempre com problemas, você sabe, e não somente enquanto estão escrevendo ou porque estão escrevendo, mas em todos os aspectos de suas vidas, com o casamento, amor, negócios, dinheiro, tudo. Está tudo interligado, tudo parte e parcela da mesma coisa. É um aspecto da personalidade criativa. Nem todas as personalidades criativas são assim, mas algumas são.

[respondido]
[claro, isso é uma crítica aos artistas fabricados pela indústria cultural. existem sim muito verdadeiros hoje, ontem, amanhã, e sempre!]

Nenhum comentário: