segunda-feira, 25 de fevereiro de 2008

TOP 5 #01 (Diferenças entra "High Fidelity" livro e filme)

Começando uma coluna whareveral, ou seja, sem data para sair. O nome é auto-explicativo. Então, SOM NA CAIXA |FLY| (é que eu me acho DJ. só não entendi o motivo deste "SOM NA CAIXA |FLY|, se alguém imaginar um, me avise. ou faça um TOP 5 sobre isso):

Bem, o tema desta edição #01 é justo. Foi este livro/filme que me inspirou a esta coluna. Sou fanático por listagens desde pequeno, mas nunca foi tão "pop" fazer uma, quanto depois de conhecer estas pequenas obras. Então, como revi o filme hoje, reli o livro há meses atrás (mas mantenho ele vivo na mente, como não?), e comecei a reler hoje, vai ser este mesmo o tema. No mais, quem se importa?

05 - Quantidade de cigarros fumados - Caramba, nunca li livro com tantos cigarros fumados. É citação a isso o livro todo. Todo momento. Quase uma lavagem cerebral. Já no filme, os cigarros estão lá, mas discretos, e em bem menor quantidade. Justifica então o sumiço de alguns diálogos bacanas, principalmente os da namorada do Rob implicando com ele por fumar. Ele dando a mínima para isso era no mínimo engraçado (mínima, mínimo, eca). Ficou na posição 5 simples, pois é só uma constagem mesmo, não muda nada na história.

04 - Referências - Lógico. O livro se passa no inicio dos anos 90, o filme, por volta do anos 2000. Muito justo. Sem contar que, tem as questões de direitos autorais. Tem também um outro fato que influencia, mas, vai vir logo adiante. Posição 4 pois as mudanças existem, mas não afetam a história também, e no mais, o dobro de recomendações para você caçar depois que ler/assistir.

03 - Retirada de personagens e situações - Aceitável, se não filme ficaria muito longo. Opa, pera aí, aceitável nada. Queria ver TUDO do livro no filme, nem que ficasse com 3 horas de duração (sabe, calculo que seria +/- isso, pois o filme já é quase completo, e dura menos de duas). O texto do Nick Hornby é bem enxuto, o livro você acaba rapidinho, e isso, acreditem, é uma qualidade. Vai escrever bem assim lá em Londre (mas pera, ele escreveu em Londre...). Nas mãos de outra pessoa, seria um livro ralo. PONTO! E posição 3, pois eu queria um filme maior sim, mas como está, fica perfeito. Uma das melhores adaptações que conheço.

02 - Mudança na ordem dos eventos - Genial! Adoro como livro coloca por exemplo, a listagem das 5 separações. Mas viva Stephen Frears, pois pelo que sei, no roteiro original elas estavam que nem no livro. Ele brincou com a lista, e jogou pelo começo do filme todo. Ficou melhor, sério! Já era fã do diretor por causa de "Os Imorais" (com o John Cusack também, ou seja, virei fã do John igualmente), agora decidi que sou obrigado a catar os outros filmes do diretor. Quero ser como ele quando crescer (e como o Hitchcock, o Kubrick, o Peckinpah, e tantos outros. por enquanto só sou como o Kevin Smith e o Tarantino). Posição 2 pois isso foi foda, muito foda!

01 - Local da história - Afetou todo o filme. Não é ruim, não é bom também. É só diferente. E diferente fica muita coisa. Piadas que não deram para usar. Outras foram incluidas. Mudaram as referências. Hábitos alternativos. Enfím. Um exercício bacana, quase um "What If...?" da Marvel. Posição 1 totalmente válida, não acham?

---

Alguém quer me dar uma jaqueta de couro e um óculos escuro estilo cantor de blues? Se eu cortar o cabelo que nem quando tinha 12 anos, vou poder pousar de irmão do Rob Gordon/Fleming (D'oh! Esqueci da mudança de nomes no TOP 5).

Nenhum comentário: